5 curiosidade que você não sabia sobre Campos do Jordão

Campos de Jordão, a cidade que é o destino de inverno mais famoso do estado de São Paulo, tem muita história interessante e algumas delas com certeza você não sabia.

1. Ela tem cara suíça ou alemã, mas foi fundada por um português

Campos do Jordão tem construções marcadas por uma identidade bem europeia, mas na realidade foi ocupada por índios, desbravadas por portugueses e desenvolvida por nordestinos, graças ao forte papel dentro do comércio da cidade, fundamental para sua economia e para a movimentação do setor de turismo. Fundada em 1874 pelo português Matheus da Costa Pinto, que se instalou nas terras, montou uma pensão e ergueu uma capela, ela só viria a ser batizada como a conhecemos hoje em 1934, quando o município tornou-se independente de São Bento do Sapucaí

  1. As casas em enxaimel têm estilos diferentes

A maioria das construções que vemos na cidade são inspiradas no estilo arquitetônico típico da Alemanha e de países vizinhos. A técnica de construção original consiste em paredes montadas com hastes de madeira encaixadas entre si, presentes apenas no sul do Brasil em cidades como Pomerode. Mas, em Campos, elas foram construídas com blocos de taipa, tijolos maciços, pedra e/ou barro. O estilo arquitetônico de Campos do Jordão é mais eclético, com chalés suíços erguidos em madeira, chalés de pinho jordanenses (típicos da cidade e erguidos sobre pilares de alvenaria e pedra) e o estilo normando (construções assimétricas da região da Normandia, na França, com telhados íngremes, vidraças e paredes de alvenaria, tijolos e pedras

  1. A cidade já foi um centro de tratamento para tuberculose

Com sua área verde, cachoeiras e clima tropical temperado (fresco, com verões amenos e sem estações secas), Campos do Jordão ganhou o apelido de Suíça Brasileira também por se tornar referência no tratamento de doentes, sobretudo enfermos de tuberculose. A cidade começou a ganhar o status de centro de cura no começo do século 20 depois que o dramaturgo Nelson Rodrigues internou-se várias vezes por ali para tratar de uma tuberculose que o atormentou por anos. O aumento da qualidade de vida dos pacientes se dava pela pureza do ar, que contribuía para fechar as “cavernas” criadas nos pulmões

  1. Campos do Jordão é a cidade mais alta do Brasil

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a altitude máxima da cidade é de 1628 metros. Para comprovar, suba o Pico do Itapeva, que fica a 35 metros da divisa com Pindamonhangaba, para observar os cenários da elevação rochosa de 2030 metros de altitude. Ali do alto, é possível observar, em dias de céu azul, 15 cidades da região do Vale do Paraíba. No topo há antenas retransmissoras e um laboratório de pesquisa de raios montado pela Força Aérea Brasileira

  1. O Festival de Inverno de Campos do Jordão é o maior evento de música erudita da América Latina

Inspirado no Festival de Tanglewood, realizado em uma fazenda em Massachussets, EUA, o Festival de Inverno de Campos do Jordão foi criado em 1970 pelo então Secretário da Fazenda, Luiz Arrobas Martins, e ocorre todo mês de julho, época de altíssima temporada de inverno da cidade. Além da apresentação de concertos, muitos deles gratuitos em lugares como a Praça da Vila Capivari e o Auditório Cláudio Santoro, o festival, mantido pelo Governo do Estado de São Paulo, pela Secretaria da Cultura e pela Fundação Osesp, se fortaleceu com seu programa pedagógico, com aulas e bolsas de estudos concedidas a jovens músicos.

FAÇA SUA RESERVA